domingo, dezembro 14, 2008

MÚSICA, CULTURA, ARTE E TALENTO!



"God of War".
Participação no Video Games Live Lisbon, com a Orquestra Sinfonieta de Lisboa
(Campo Pequeno - 6 de Dezembro).

Fabuloso solo da minha soprano favorita! Parabéns!


quinta-feira, dezembro 11, 2008

MÚSICA EM S. ROQUE (2O ANOS 20 CONCERTOS)

Grupo Vocal Olisipo com a Orquestra Metropolitana de Lisboa (29 de Novembro)

Soberbo!

Parabéns à minha soprano favorita!

terça-feira, dezembro 09, 2008

O NASCIMENTO DO BARROCO EM PORTUGAL (Parte II)


Concerto do "Sete Lágrimas Consort" na Igreja do Instituto de S. Pedro de Alcântara em Lisboa (9 de Novembro de 2008) incluído no programa "20 Anos 20 Concertos - Música em S. Roque"

Esta soprano enche-me de orgulho!

Ler crítica

A ÚLTIMA CEIA DOS HERÓIS CHICANOS


A selecção de heróis deste mural da Casa Zapata, dormitório de Stanford com temática chicana, resultou de uma sondagem feita a estudantes, corpo docente e pessoal. Che Guevara liderava a sondagem e é exibido no mural como Cristo. Entre os demais heróis sentados à mesa figuram Benito Juárez, Martin Luther King, Emiliano Zapata, César Chávez, Dolores Huerta, Frida Kahlo, Joaquin Murieta e Augusto César Sandino. A toalha de mesa exibe a seguinte dedicatória ao rol de heróis de um estudante: "e a todos os que morreram, esfregaram o chão, choraram e lutaram por nós (para que pudéssemos estar aqui em Stanford).

sexta-feira, dezembro 05, 2008

THOMAS JEFFERSON (1802)

segunda-feira, dezembro 01, 2008

À PROCURA DE MAECENAS.


"São vários os mecenas famosos na história, mas poucos conhecem quem lhes deu o nome, Maecenas o próprio.

Romano, político e conselheiro de Caeser Augustus, ninguém sabe se algum dia lhe terá passado pela cabeça que, dois milénios depois, andaria nas bocas do mundo como sinónimo de patrono das artes. A verdade é que aconteceu. Um pouco como a expressão inglesa
Private Banking, que se tornou em Portugal sinónimo de Banco Privado Português.

Mas como até em gramática todos os caminhos vão dar a Roma, este texto não será excepção. Gaius de seu primeiro nome era, como não podia deixar de ser, o arquétipo do mecenas.

Por isso, não é de estranhar que tenha sido rico, o que foi verdade, como não é de estranhar que se tivesse rodeado de artistas durante toda a vida, o que também aconteceu. Rico por herança, a sua riqueza cresceu ainda mais pela sua proximidade com o imperador, cuja influência proporcionou a Gaius a independência necessária para poder escapar à típica adoração romana a Marte (deus da guerra), trocando-a por outra forma de estar na vida, mais dedicada a Minerva (deusa da inteligência e sabedoria).

Aí está uma deusa que também tem a ver com a nossa mitologia. Porque tem tudo a ver com dinheiro (aliás podia até ser a deusa do dinheiro se existisse) visto que só com muita sabedoria e inteligência é que se consegue fazer muito dinheiro.

Que o digam os nossos clientes, convertidos por um dos bancos mais capitalizados do mundo no seu segmento com mais de 200 milhões de euros em capitais próprios.

E também Virgílio, Horácio, Varius Rufus, Plotius Tucca, Valgius Rufus, ou Domitius Marsus. Um sem número de importantes poetas da era antes de Cristo que usufríram do apoio incondicional do Maecenas, que incluía dinheiro e casas de luxo onde poderiam viver à larga e dar largas ao seu talento. Foram eles os primeiros artistas subsidiados da história, homens que tiveram a fortuna de encontrar alguém cuja visão e pensamento estavam acima da sua própria fortuna.

E caro leitor, para que a sua fortuna não dependa exclusivamente da fortuna ligue para um dos nossos
Private Bankers, disponíveis para falar consigo através dos telefones em Lisboa, Porto e Madrid. Depois se quiser continuar a imortalizar o nome do romano, é consigo".



Não quero fazer comentários até porque isso tira, de certa maneira, o interesse dos leitores. Mas o "bichinho" impõe aqui uma crítica ao 5º parágrafo:

1- Nem a mitologia romana, nem a grega contemplavam o deus do dinheiro. Esse "pelouro" era e é, segundo as crenças religiosas actuais, pertença do Diabo. E esse diabo era representado na mitologia romana, pelo imperador. Daí o Maecenas ter feito um pacto com o diabo (imperador) e ter aumentado a sua fortuna. O exemplo ficou até ao nossos dias. Quem faz pactos com o diabo (poder) enriquece, mesmo que seja um zé ninguém, como se constactou nas declarações de um célebre ex-político, há dias (e Dias Loureiro) acerca do caso BPN.


2- "... só com muita sabedoria e inteligência é que se consegue fazer muito dinheiro".
Pois as actuais circunstâncias provam precisamente o contrário, o que aliás, está estampado no próprio texto. Os oportunistas e chicos-espertos (não sábios nem inteligentes) estão a surgir de todo o lado, esses sim à procura do "maecenas contemporâneus": o contribuinte.

Como diz o outro: "Vão mas é trabalhar, ó!..."

sábado, novembro 29, 2008

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA II

sexta-feira, novembro 28, 2008

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA I

quinta-feira, novembro 20, 2008

AS VERDADES OCULTAS EM PORTUGAL

PORTUGAL VISTO DE ESPANHA

Recebi este texto em espanhol, mas vale a pena o esforço de o ler. É verdadeiramente entristecedor por ser, infelizmente, verdadeiro.

LISBOA, 21 sep (IPS) - Indicadores económicos y sociales periódicamente divulgados por la Unión Europea (UE) colocan a Portugal en niveles de pobreza e injusticia social inadmisibles para un país que integra desde 1986 el 'club de los ricos' del continente.

Pero el golpe de gracia lo dio la evaluación de la Organización para la Cooperación y el Desarrollo Económicos (OCDE): en los próximos años Portugal se distanciará aún más de los países avanzados.

La productividad más baja de la UE, la escasa innovación y vitalidad del sector empresarial, educación y formación profesional deficientes, mal uso de fondos públicos, con gastos excesivos y resultados magros son los datos señalados por el informe anual sobre Portugal de la OCDE, que reúne a 30 países industriales.

A diferencia de España, Grecia e Irlanda (que hicieron también parte del 'grupo de los pobres' de la UE), Portugal no supo aprovechar para sudesarrollo los cuantiosos fondos comunitarios que fluyeron sin cesar desde Bruselas durante casi dos décadas, coinciden analistas políticos y económicos.

En 1986, Madrid y Lisboa ingresaron a la entonces Comunidad Económica Europea con índices similares de desarrollo relativo, y sólo una década atrás, Portugal ocupaba un lugar superior al de Grecia e Irlanda en el ranking de la UE. Pero en 2001, fue cómodamente superado por esos dos países, mientras España ya se ubica a poca distancia del promedio del bloque.

'La convergencia de la economía portuguesa con las más avanzadas de la OCE pareció detenerse en los últimos años, dejando una brecha significativa en los ingresos por persona', afirma la organización.

En el sector privado, 'los bienes de capital no siempre se utilizan o seubican con eficacia y las nuevas tecnologías no son rápidamente adoptadas', afirma la OCDE.

'La fuerza laboral portuguesa cuenta con menos educación formal que los trabajadores de otros países de la UE, inclusive los de los nuevos miembros de Europa central y oriental', señala el documento.

Todos los análisis sobre las cifras invertidas coinciden en que el problema central no está en los montos, sino en los métodos para distribuirlos. Portugal gasta más que la gran mayoría de los países de la UE en remuneración de empleados públicos respecto de su producto interno bruto, pero no logra mejorar significativamente la calidad y eficiencia de los servicios.

Con más profesores por cantidad de alumnos que la mayor parte de los miembros de la OCDE, tampoco consigue dar una educación y formación profesional competitivas con el resto de los países industrializados.

En los últimos 18 años, Portugal fue el país que recibió más beneficios por habitante en asistencia comunitaria. Sin embargo, tras nueve años de acercarse a los niveles de la UE, en 1995 comenzó a caer y las perspectivas hoy indican mayor distancia.

Dónde fueron a parar los fondos comunitarios?, es la pregunta insistente en debates televisados y en columnas de opinión de los principales periódicos del país. La respuesta más frecuente es que el dinero engordó la billetera de quienes ya tenían más.

Los números indican que Portugal es el país de la UE con mayor desigualdad social y con los salarios mínimos y medios más bajos del bloque, al menos hasta el 1 de mayo, cuando éste se amplió de 15 a 25 naciones.

También es el país del bloque en el que los administradores de empresas públicas tienen los sueldos más altos.

El argumento más frecuente de los ejecutivos indica que 'el mercado decidelos salarios'. Consultado por IPS, el ex ministro de Obras Públicas(1995-2002) y actual diputado socialista João Cravinho desmintió esta teoría. 'Son los propios administradores quienes fijan sus salarios, cargando las culpas al mercado', dijo.

En las empresas privadas con participación estatal o en las estatales con accionistas minoritarios privados, 'los ejecutivos fijan sus sueldos astronómicos (algunos llegan a los 90.000 dólares mensuales, incluyendo bonos y regalías) con la complicidad de los accionistas de referencia', explicó Cravinho.

Estos mismos grandes accionistas, 'son a la vez altos ejecutivos, y todo este sistema, en el fondo, es en desmedro del pequeño accionista, que ve como una gruesa tajada de los lucros va a parar a cuentas bancarias de los directivos', lamentó el ex ministro.

La crisis económica que estancó el crecimiento portugués en los últimos dos años 'está siendo pagada por las clases menos favorecidas', dijo.

Esta situación de desigualdad aflora cada día con los ejemplos más variados. El último es el de la crisis del sector automotriz. Los comerciantes se quejan de una caída de casi 20 por ciento en las ventas de automóviles de baja cilindrada, con precios de entre 15.000 y 20.000 dólares.

Pero los representantes de marcas de lujo como Ferrari, Porsche, Lamborghini, Maserati y Lotus (vehículos que valen más de 200.000 dólares), lamentan no dar abasto a todos los pedidos, ante un aumento de 36 por ciento en la demanda.

Estudios sobre la tradicional industria textil lusa, que fue una de las más modernas y de más calidad del mundo, demuestran su estancamiento, pues sus empresarios no realizaron los necesarios ajustes para actualizarla.

Pero la zona norte donde se concentra el sector textil, tiene más autos Ferrari por metro cuadrado que Italia.

Un ejecutivo español de la informática, Javier Felipe, dijo a IPS que según su experiencia con empresarios portugueses, éstos 'están más interesados en la imagen que proyectan que en el resultado de su trabajo'.

Para muchos 'es más importante el automóvil que conducen, el tipo de tarjeta de crédito que pueden lucir al pagar una cuenta o el modelo del teléfono celular, que la eficiencia de su gestión', dijo Felipe, aclarando que hay excepciones.

Todo esto va modelando una mentalidad que, a fin de cuentas, afecta al desarrollo de un país', opinó.

La evasión fiscal impune es otro aspecto que ha castrado inversiones del sector público con potenciales efectos positivos en la superación de la crisis económica y el desempleo, que este año llegó a 7,3 por ciento de la población económicamente activa.

Los únicos contribuyentes a cabalidad de las arcas del Estado son los trabajadores contratados, que descuentan en la fuente laboral. En los últimos dos años, el gobierno decidió cargar la mano fiscal sobre esas cabezas, manteniendo situaciones 'obscenas' y 'escandalosas', según el economista y comentarista de televisión Antonio Pérez Metello.

'En lugar de anunciar progresos en la recuperación de los impuestos de aquellos que continúan riéndose en la cara del fisco, el gobierno (conservador) decide sacar una tajada aun mayor de esos que ya pagan lo que es debido, y deja incólume la nebulosa de los fugitivos fiscales, sin coherencia ideológica, sin visión de futuro', criticó Metello.

La prueba está explicada en una columna de opinión de José Vitor Malheiros, aparecida este martes en el diario Público de Lisboa, que fustiga la faltade honestidad en la declaración de impuestos de los lamados profesionales liberales.

Según esos documentos entregados al fisco, médicos y dentistas declararons (?), los arquitectos dingresos anuales promedio de 17.680 euros (21.750 dólares), los abogados de 10.864 (13.365 dólares) e 9.277 (11.410 dólares) y los ingenieros de 8.382 (10.310 dólares).

Estos números indican que por cada seis euros que pagan al fisco, 'le roban nueve a la comunidad', pues estos profesionales no dependientes deberían contribuir con 15 por ciento del total del impuesto al ingreso por trabajo singular y sólo tributan seis por ciento, dijo Malheiros.

Con la devolución de impuestos al cerrar un ejercicio fiscal, éstos 'roban más de lo que pagan, como si un carnicero nos vendiese 400 gramos de bife y nos hiciese pagar un kilogramo, y existen 180.000 de estos profesionales liberales que, en promedio, nos roban 600 gramos por kilo', comentó con sarcasmo.

Si un país 'permite que un profesional liberal con dos casas y dos automóviles de lujo declare ingresos de 600 euros (738 dólares) por mes, año tras año, sin ser cuestionado en lo más mínimo por el fisco, y en cima recibe un subsidio del Estado para ayudar a pagar el colegio privado de sus hijos, significa que el sistema no tiene ninguna moralidad', sentenció.

domingo, novembro 16, 2008

O NASCIMENTO DO BARROCO EM PORTUGAL (Parte I)

Crítica Concerto São Roque 9 de Novembro de 2008 17h00, in Público 14 de Novembro de 2008 por Cristina Fernandes.
Igreja do Instituto de São Pedro de Alcântara (igreja lotada).

Vocacionado para a música antiga e contemporânea, o Sete Lágrimas Consort constitui um dos mais interessantes projectos surgidos em Portugal, nos últimos tempos, conforme se pode comprovar através de dois CD já editados (Lachrimae #1 e Kleine Musik), aos quais se seguirá, em breve, Diaspora.pt. Dirigidos pelos tenores Filipe Faria e Sérgio Peixoto, o grupo apresentou no ciclo Música em São Roque um criterioso programa intitulado “Pedra Irregular – O Nascimento do Barroco em Portugal”.

De Diogo Dias de Melgaz, um dos últimos vultos da Escola de Évora, a António Teixeira e Francisco António de Almeida (bolseiros em Roma a expensas de D. João V), passando por Henrique Correia, Carlos Seixas e Scarlatti, foi traçado um percurso com algumas das mais belas obras escritas entre os finais do século XVII e meados do século XVIII.

O repertório sacro apresentado foi concebido para coro (com ou sem solistas) e baixo contínuo, mas o Sete Lágrimas interpretou-o apenas com três cantores, atribuindo algumas das restantes partes a instrumentos (oboé e violino barroco) e contando com um grupo de baixo contínuo generoso (violoncelo, duas tiorbas e cravo).

Algumas obras vocais (de Melgaz, Teixeira e Almeida) foram tocadas apenas em versão instrumental e as restantes foram objecto de combinações vocais e instrumentais variadas, que permitiram acentuar os contrastes da textura musical e obter ambientes tão diversos como o intimismo contemplativo da Lamentação, de Almeida, ou a exuberância italianizante dos Responsórios de Carlos Seixas, do Responsório Si quaeris miracula ou do Motete Justus ut palma florebit, de Almeida.

O colorido que se ganhou desta forma mostrou facetas que outras interpretações deixam na sombra. Mas se o resultado foi revelador, esta atitude é susceptível de algumas reflexões musicológicas. Várias destas peças foram certamente cantadas na Patriarcal de D. João V, que contava com um coro de italianos de alto nível e cultivava um cerimonial monumental, mas também não é impossível que tivessem sido feitas com uma voz por parte noutros locais prática documentada em Portugal nas décadas seguintes).

O uso de um conjunto vocal mais amplo seria talvez mais fidedigno, mas os Sete Lágrimas não se definem como um grupo filiado nas “interpretações historicamente informadas” no sentido convencional, embora tenham formação nessa área. Preferem apostar na experimentação e na recriação do repertório, de resto uma tendência cada vez mais comum também a nível internacional.

Com timbres de cores suaves, as vozes de Filipe Faria e Sérgio Peixoto combinaram-se com elegância e bom gosto e a soprano Mónica Monteiro teve uma prestação de crescente eloquência que culminou nas páginas de Almeida, precisando apenas de aperfeiçoar alguns detalhes nas passagens mais virtuosísticas. A clareza de fraseados do oboé de Andreia Carvalho, num sugestivo diálogo com o violino de Denys Stetsenko, e um grupo de contínuo que nunca incorreu na monotonia completaram um trabalho de conjunto de grande consistência técnica e artística.

sexta-feira, novembro 14, 2008

ENA TANTOS COMUNISTAS!

Tenho andado arredado da blogosfera, por vários motivos que agora não interessa referir. Mas perante tudo o que se tem passado, não pude ficar indiferente a tanta pouca vergonha ou falta dela, falta de juízo e desculpas esfarrapadas.

Senão vejamos:

1 - Manifestação de 120 mil Professores contra o Governo e políticas de Educação. Escreveram alguns jornalistas(?) que isto é obra de "agitadores comunistas".

2 - Estudantes atiram ovos a membros do governo, encerram portas de escolas a cadeado e manifestam-se contra o Estatuto do Aluno, no que diz respeito ao regime de faltas, e não só. "Agitadores comunistas".

3 - Aquela desordem na Assembleia Regional da Madeira (terá razão o Alberto João quando desaconselhou o Presidente da República a não visitar aquele órgão regional de autonomia? Se calhar tem!), quando um deputado regional do PND exibe uma bandeira nazi-fascista em plena sessão. Agora recusa-se a integrar de novo os trabalhos porque já lhe chamaram de "comunista" e ele quer limpar o seu bom nome.

4 - Militares descontentes porque o Governo (pasme-se) não cumpre com os militares as leis que ele próprio criou. Mais manifestações. A afinar pelo mesmo diapasão, serão também os militares "agitadores comunistas"?

Isto traz-me à memória, afirmações do tempo do António de Santa Comba e seus lacaios: "quem não está comigo está contra mim". E quem não estava com ele era... comunista.

Assim sendo, com tantos "comunistas" neste país, não entendo e julgo que qualquer Português de bom senso também não, o porquê de o poder ser ocupado por "anti-comunistas" há décadas! Das duas, uma: ou as eleições têm sido fraudulentas, ou então, há para aí muita gente a "borrar-se" com medo do Papão!

Agora que este modelo de capitalismo selvagem, selvático e desonesto, demonstrou que tem os dias contados e que na América (toda ela), os factos apontam para a mudança, muitos "engravatados" se borram até ao colarinho! E o resultado é um cheiro nauseabundo consequência de excrementos de hipocrisia, arrogância e ambição desmedida.

Haja vergonha, respeito e juízo!

sexta-feira, outubro 24, 2008

PACTOS DE SILÊNCIO

Recebi por e-mail este texto, alegadamente do jornalista Mário Crespo e não resisti a publicá-lo neste espaço.

No Outono de 1989 conduzi na RTP os debates entre os candidatos a Lisboa. O grande confronto foi PS/PSD. Duas candidaturas notáveis. Jorge Sampaio, secretário-geral, elevou a política autárquica em Portugal a um nível de importância sem precedentes ao declarar-se candidato quando os socialistas viviam um dos seus cíclicos períodos de lutas intestinas. O PSD escolheu Marcelo Rebelo de Sousa. No debate da RTP confrontei-os com a fotocópia de documentos dos arquivos do executivo camarário do CDS de Nuno Abecassis. Um era o acordo entre os promotores de um enorme complexo habitacional na zona da Quinta do Lambert e a Câmara. Estipulava que a Câmara receberia como contrapartida pela cedência dos terrenos um dos prédios com os apartamentos completamente equipados. Era um edifício muito grande, seguramente vinte ou trinta apartamentos, numa zona que aos preços do mercado era (e é) valiosíssima. Outro documento tinha o rol das pessoas a quem a Câmara tinha entregue os apartamentos. Havia advogados, arquitectos, engenheiros, médicos, muitos políticos e jornalistas. Aqui aparecia o nome de personagem proeminente na altura que era chefe de redacção na RTP. A lista discriminava os montantes irrisórios que pagavam pelo arrendamento dos apartamentos topo de gama na Quinta do Lambert. Confrontados com esta prova de ilicitude, os candidatos às autárquicas de 1989 prometeram, todos, pôr fim ao abuso. O desaparecido semanário Tal e Qual foi o único órgão de comunicação que deu seguimento à notícia. Identificou moradores, fotografou o prédio e referiu outras situações de cedência questionável de património camarário a indivíduos que não configuravam nenhum perfil de carência especial. E durante vinte anos não houve consequência desta denúncia pública. O facto de haver jornalistas entre os beneficiários destas dádivas do poder político explica muito do apagamento da notícia nos órgãos de comunicação social, muitos deles na altura colonizados por pessoas cuja primeira credencial era um cartão de filiação partidária. Assim, o bodo aos ricos continuou pelas câmaras de Jorge Sampaio e de João Soares e, pelo que sabemos agora, pelas câmaras de outras forças partidárias. Quem tem estas casas gratuitas (é isso que elas são) é gente poderosa. Há assessores dispersos por várias forças políticas e a vários níveis do Estado, capazes de com uma palavra no momento certo construir ou destruir carreiras. Há jornalistas que com palavras adequadas favoreceram ou omitiram situações de gravidade porque isso era (é) parte da renda cobrada nos apartamentos da Quinta do Lambert e noutros lados. O silêncio foi quebrado agora que os media se multiplicaram e não é possível esconder por mais vinte anos a infâmia das sinecuras. Os prejuízos directos de décadas de venalidade política atingem muitos milhões. Não se pode aceitar que esta comunidade de pedintes influentes se continue a acoitar no argumento de que habita as fracções de património público "legalmente". Em essência nada distingue os extorsionistas profissionais dos bairros sociais das Quintas da Fonte dos oportunistas políticos que de suplicância em suplicância chegaram às Quintas do Lambert. São a mesma gente. Só moram em quintas diferentes. Por esse país fora.

quinta-feira, outubro 09, 2008

HASTA SIEMPRE!


Hasta Siempre (Nathalie Cardone)

Quarenta e um anos passados, a merecida homenagem. Agora, mais do que nunca, Hasta Siempre Comandante!

sábado, outubro 04, 2008

A CRISE DO SUBPRIME

Entenda a Crise do Subprime....
Para quem não entendeu ou não sabe bem o que é, ou gerou a crise americana, segue breve relato económico de um anónimo inteligente que o colocou na Internet:

"O Ti Jaquim tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide que vai vender copos 'fiados' aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose do tintol e da branquinha. A diferença é o 'sobre-preço' que os pinguços pagam pelo crédito.
O gerente do banco do Ti Jaquim, um ousado administrador formado em curso muito reconhecido, decide que o livrinho das dívidas da tasca constitui, afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o 'fiado' dos pinguços como garantia.
Uns seis zécutivos de bancos (que recebem chorudíssimos ordenados como prémio pelas decisões milagreiras que saiem daquelas cabacinhas, sim cabacinhas), mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrónimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.
Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (os tais livrinhos das dívidas do Ti Jaquim). Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países. Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas e a tasca do Ti Jaquim vai à falência. E toda a cadeia vai para a p... que a pariu....

Viu? É muito simples!"
Recebido por email. Editado pelo autor do blog.

quinta-feira, outubro 02, 2008

NOVOS MODELOS

Deplorável, aquele programa da SIC "Momento da Verdade" cujos concorrentes mais não são do que "almas prostituídas" que se sujeitam ao confronto com uma máquina que avalia a veracidade das suas respostas (polígrafo). Tudo por dinheiro! Aliás o lema do programa é: "a verdade compensa" ou coisa assim parecida. Fica-se a saber se fulano quer ir para a cama com a sogra, ou se o outro nem se importava de apanhar no traseiro, entre várias repugnâncias. Mas é tudo por uma boa causa: o dinheiro!
Por este andar, qualquer dia sai a pergunta: "gostaria de ir para a cama com a apresentadora deste programa"? Cruzes, credo, abrenúncio! Afasta-te Satanás, dirá o concorrente. Mas se o polígrafo disser que é mentira, então a apresentadora terá um orgasmo em público.
Isento de valores e de princípios, este programa ofende. Estaremos perante um novo modelo de prostituição?

sexta-feira, setembro 19, 2008

SOLIDARIEDADE: JUSTIÇA PARA FLÁVIA

A História de Flávia e a lentidão da Justiça Brasileira em seus jugamentos. Ler mais ...

terça-feira, setembro 09, 2008

NACIONALIZAÇÕES

"A administração Bush nacionalizou as duas maiores hipotecárias americanas para evitar a falência da Freddie Mac e Fannie Mae. Os contribuintes americanos vão pagar 200 mil milhões de dólares, cerca de 140 mil milhões de euros". (Ler notícia).


As nacionalizações, até agora típicas dos estados socialistas, afinal também se praticam nos estados capitalistas. Este caso não é único em países capitalistas! Já em Inglaterra se passou coisa semelhante.


À primeira vista, há tendência para pôr tudo no mesmo saco: nacionalização é nacionalização e pronto! Mas não! Há grandes diferenças nos modelos: enquanto os estados socialistas nacionalizam para tornar o estado no único monopolista, entendendo-se o estado como o conjunto dos cidadãos, os estados capitalistas nacionalizam para retirar responsabilidades a privados (oportunistas e especuladores) e transferir o ónus dessas mesmas responsabilidades para os cidadãos.

Temos agora que introduzir novos conceitos de nacionalização: a nacionalização socialista, que enriquece o estado e a nacionalização capitalista, que empobrece o estado.

quarta-feira, julho 23, 2008

TECNOLOGIAS

video

O "chá das cinco" em "Londres, capital da Oceania".

Inspirado no livro "1984" de George Orwell.

quinta-feira, junho 26, 2008

ATÉ JÁ!

ENCERRADO PARA FÉRIAS DO PESSOAL

terça-feira, junho 24, 2008

MINI ANEDOTÁRIO NACIONAL

Do Ministro da Agricultura e Pescas:

"Normalmente eu não associo os representantes, quer da CNA quer da CAP a estruturas políticas, mas é um facto que alguns dirigentes da CNA estão na extrema-esquerda e alguns da CAP na direita mais conservadora em Portugal, que pensam que os problemas se resolvem com mais subsídios".
Claro! No meio é que está a virtude. E no meio está o governo, cheio de virtudes! Já agora que tocou no assunto, o sr. ministro devia ter explicado que o dinheiro dos impostos dos Portugueses serve para subsidiar o governo, o TGV, as portagens, as autoestradas, os processos judiciais com turistas estrangeiros, a Federação Portuguesa de Futebol, etc. e que por isso, não sobra um "chavo" para susidiar os meios de produção!

Do Procurador Geral da República:
"É oficioso que [Vale e Azevedo] não está em Portugal. Foi já emitido um mandado de detenção europeu, um procedimento internacionalmente aceite, que naturalmente será cumprido".
Toda a gente conhecia o paradeiro de Vale e Azevedo. Só a justiça portuguesa não!

Gasolineiras:
"Lucros das gasolineiras disparam com a paralização dos camionistas". (ver notícia)
A partir de agora, as paralizações dos camionistas vão ser patrocinadas!

Sobre a UE:
"Portugueses são os mais pessimistas" . (ver notícia)
Porque será? Será que os Portugueses preferem ser do contra? Gente mal agradecida esta gente portuguesa!

Nota: fotografia "roubada" da Internet
.

domingo, junho 22, 2008

SAÚDE, UM NEGÓCIO.

Cresci a ouvir esta máxima: "com a saúde não se brinca". Mas, hoje ao passar os olhos pelos jornais online deparei com a notícia que levanta a suspeita de que alguém anda a brincar com a nossa saúde.

Segundo Isabel Vaz, "o objectivo não é perder clientes, que até podem ir a outro lado".

Esta afirmação não agradará certamente à comunidade médica, se esse "outro lado" for Cuba, atentas as afirmações recentes do Director do Serviço de Oftamologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra, de que os doentes Portugueses deslocados a Cuba corriam sérios riscos, pois o país em questão era "tecnicamente atrasado". Só por ódio político se pode fazer uma afirmação tão grosseira e isenta de verdade!

Além de haver quotas de primeiras consultas, "porque os médicos têm de seguir outros doentes", ... "há quotas a nível global para cada cliente. Não podemos ter no hospital só doentes da ADSE", que já representa 20% do negócio.

Negócio?!!! Qual negócio?! A saúde?!

O estabelecimento de quotas justifica-se sobretudo porque "há movimentos no sentido de acabar com a ADSE".

Que movimentos? O governo? A comunidade médico-farmacêutica? As seguradoras?

Todo este discurso é hoje possível, porque os sucessivos governos mais não fizeram do que enfraquecer o papel do Estado no que concerne à defesa dos direitos mais elementares dos cidadãos (saúde, educação, habitação, trabalho). Hoje, falar da "saúde-negócio" é um lugar comum e o cidadão para mais não serve do que pagar impostos!

Maldito capitalismo!

sábado, junho 14, 2008

CHE GUEVARA

CIDADE NATAL DE CHE GUEVARA LEMBRA OS 8O ANOS DO SEU NASCIMENTO


Mais de 40 anos após sua morte, Ernesto Che Guevara transformou-se em "profeta na sua terra" e hoje a cidade argentina de Rosário lembrou os 80 anos do nascimento do guerrilheiro com a inauguração de uma gigantesca estátua em sua memória.

Ler notícia completa.

sexta-feira, junho 13, 2008

REFERENDO NA REPÚBLICA DA IRLANDA



Foi ontem referendado pelo povo da República da Irlanda, o tratado que alguns dizem que é de Lisboa. A Irlanda votou NÃO ao tratado. Eis aqui, a minha singela homenagem: este maravilhoso vídeoclip de uma ilustre Irlandesa (Sinead O'connor).

quarta-feira, junho 11, 2008

NORUEGA... UM EXEMPLO... E QUE EXEMPLO!

"Na Noruega, o horário de trabalho começa cedo (às 8 horas) e acaba cedo (às 15.30). As mães e os pais noruegueses têm uma parte significativa dos seus dias para serem pais, para proporcionar aos filhos algo mais do que um serão de televisão ou videojogos. Têm um ano de licença de maternidade e nunca ouviram falar de despedimentos por gravidez."
"A riqueza que produzem nos seus trabalhos garante-lhes o maior nível salarial da Europa. Que é também, desculpem-me os menos sensíveis ao argumento, o mais igualitário. Todos descontam um IRS limpo e transparente que não é depois desbaratado em rotundas e estatuária kitsh, nem em auto-estradas (só têm 200 quilómetros dessas «alavancas de progresso»), nem em Expos e Euros."
"É tempo de os empresários portugueses constatarem que, na Noruega, a fuga ao fisco não é uma «vantagem competitiva». Ali, o cruzamento de dados «devassa» as contas bancárias, as apólices de seguros, as propriedades móveis e imóveis e as «ofertas» de património a familiares que, em Portugal, país de gentes inventivas, garantem anonimato aos crimes e «confundem» os poucos olhos que se dedicam ao combate à fraude económica."

"Mais do que os costumeiros «bons negócios», deviam os empresários portugueses pôr os olhos naquilo que a Noruega tem para nos ensinar. E, já agora, os políticos. Numa crónica inspirada, o correspondente da TSF naquele país, afiança que os ministros não se medem pelas gravatas, nem pela alta cilindrada das suas frotas. Pelo contrário, andam de metro, e não se ofendem quando os tratam por tu. Aqui, cada ministério faz uso de dezenas de carros topo de gama, com vidros fumados para não dar lastro às ideias de transparência dos cidadãos. Os ministros portugueses fazem-se preceder de batedores motorizados, poluem o ambiente, dão maus exemplos e gastam a rodos o dinheiro que escasseia para assuntos verdadeiramente importantes." "Mais: os noruegueses sabem que não se «projecta o nome do país» com despesismos faraónicos, basta ser-se sensato e fazer da gestão das contas públicas um exercício de ética e responsabilidade. Arafat e Rabin assinaram um tratado de paz em Oslo. E, que se saiba, não foi preciso desbaratarem milhões de contos para que o nome da capital norueguesa corresse mundo por uma boa causa." "Até os clubes de futebol noruegueses, que pedem meças aos seus congéneres lusos em competições internacionais, nunca precisaram de pagar aos seus jogadores 400 salários mínimos por mês para que estes joguem à bola. Nas gélidas terras dos vikings conheci empresários portugueses que ali montaram negócios florescentes. Um deles, isolado numa ilha acima do círculo polar Árctico, deixava elogios rasgados à «social-democracia nórdica». Ao tempo para viver e à segurança social."

"Ali, naquele país, também há patos-bravos. Mas para os vermos precisamos de apontar binóculos para o céu. Não andam de jipe e óculos escuros. Não clamam por messias nem por prebendas. Não se queixam do «excessivo peso do Estado», para depois exigirem isenções e subsídios."

É tempo de aprendermos que os bárbaros somos nós. Seria meio caminho andado para nos civilizarmos.

Recebido por email.

terça-feira, junho 03, 2008

CHOQUE PETROLÍFERO

«Autoridade da concorrência conclui: Não há cartelização de preços dos combustíveis entre os operadores que actuam no mercado português».

Todo este "rendilhado" mostra a falta de isenção desta comunicação social. O mais importante que foi dito por este senhor não é noticiado: O "problema" de Portugal fazer fronteira com a Espanha! Que chatice a Espanha praticar impostos mais baixos!
"Se fizesse fronteira com a França!.."
E se fosse com a Arábia Saudita?
Depois vem o ministro da economia, enterrar-se todo como é seu hábito, com "histórias aos quadradinhos". Faltou-lhe a coragem de dizer que o governo perdeu o ano passado centenas de milhões de euros em ISP e que este ano não quer correr esse risco. Todo o resto é areia para os nossos olhos.

domingo, junho 01, 2008

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

Esta é a mensagem que as crianças de todo o Mundo, transmitem aos adultos! Que os políticos a saibam descodificar!

sexta-feira, maio 30, 2008

EV1 - A ÚLTIMA VIAGEM



Em 1996, as primeiras viaturas eléctricas de produção em série, os EV1 (Electric Vehicle 1), foram fabricados nos EUA pela General Motors, e circularam pelas estradas da Califórnia. Eram viaturas rápidas: faziam dos 0 aos 100 km/h, em menos de 9 segundos! E silenciosas! Não produziam nenhum gás de combustão (nem sequer tinham tubo de escape). Eram facilmente recarregáveis com energia eléctrica na garagem de casa. Dez anos mais tarde, estes carros do futuro desapareceram completamente! Como é possível? Em primeiro lugar, estas viaturas não podiam ser compradas, mas unicamente alugadas! Os contratos de aluguer não foram, pura e simplesmente, renovados. A General Motors recuperou todos os EV1, apesar da oposição dos seus utilizadores e depois… destruiu-os!

Em 1997, a Nissan apresentou o modelo eléctrico Hypermini no salão de Tokyo. O município de Pasadena (Califórnia - EUA) adoptou esta viatura como veículo profissional para os seus funcionários. Era muito apreciado pela sua facilidade de manobra e estacionamento, e ainda pela sua grande facilidade de movimento dentro da cidade. Em Agosto de 2006, expirou o contrato de aluguer das referidas viaturas, entre o município de Pasadena e a Nissan. O município tentou comprar as viaturas mas a Nissan recusou peremptóriamente; a Nissan recuperou todas as viaturas para as… destruir!

Em 2003, a Toyota decide parar a produção do RAV4-EV, (EV - veiculo eléctrico). Este 4x4 eléctrico, um produto de alto refinamento tecnológico, era muito apreciado pelos utilizadores. Em 2005, os contratos de aluguer das viaturas, expiraram. A Toyota imediatamente se apressou a recuperar todos estes veículos afim de os… destruir!

Curiosamente, enquanto que os veículos eléctricos são destruídos em massa, os de combustão são bem protegidos.

Os “lobbies” das grandes companhias petrolíferas não querem que os veículos eléctricos sobrevivam e assim vão fazendo guerras no Médio Oriente por causa do petróleo, com as consequências que se conhecem!

Texto recebido por email em formato "pps". Editado pelo autor do blogue.

quarta-feira, maio 28, 2008

A CIDADANIA E O PODER AUTÁRQUICO

Li algures que os blogues são uma arma democráticamente terrível para os políticos instalados. Li também que muitos criticam o facto de a maioria dos blogues que atacam o poder autárquico serem anónimos ou usarem "nicknames". Anónimos ou não, os blogues exercem uma grande influência no poder! Intimidam! Porquê? Porque contam verdades! E a verdade incomoda a quem anda afastado dela! Os blogues anónimos ou sob pseudónimo, podem ser facilmente investigados e identificados os seus autores, caso cometam algum crime. Daí, viverem em paz consigo próprios e como manda o ditado popular, "quem diz a verdade não merece castigo", avancemos:

Sobretudo nos municípios pequenos, as assembleias municipais são autênticas reuniões de compadres, e a diferença entre acomodados e oposição é que uns se sentam à direita e outros à esquerda. Alguns opositores mais cautelosos, como é o caso de alguns presidentes de junta, até têm o cuidado de não se sentarem muito perto de alguém que tenha o hábito de fazer perguntas incómodas ao "senhor presidente". Não vá ser confundido e acabar-se-lhe a torneira aberta! Durante um mandato (quatro anos), noventa por cento dos eleitos não abre a boca a não ser para bocejar: limita-se a sentar, acenar com a cabeça consoante o interesse e aguardar pelo cheque de presença!

Em algumas assembleias de freguesia chega-se ao cúmulo de, sorrateiramente, se mandar calar o presidente da junta, porque "não é bem aquilo que ele quer dizer" e não vá comprometer! A "oposição" ri-se... claro! Não sabe o que se passa e tampouco faz um esforço para perceber.

Nas campanhas eleitorais, o porco assado no espeto e a "vinhaça" falam pelos candidatos! Não há necessidade de discurso e depois com barriga cheia e narizes vermelhos quem está disposto a ouvir discursos?

Muitas "estórias do arco da velha" se poderiam contar, mas fiquemos por aqui. Não se pode baixar a guarda! Quem elege, tem o direito e o dever de pedir contas. A cidadania deve ser exercida, cada vez mais pelos eleitores! E os bloguistas, anónimos ou não, são eleitores.

segunda-feira, maio 26, 2008

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO ROUBO

Imagem recebida por email


Tenho lido e "ouvisto" (ouvido e visto), várias versões sobre os 18 aumentos do preço dos combustíveis praticados este ano. A última foi que o preço do gasóleo está alto, porque a GALP, detentora de toda a indústria refinadora em Portugal (abaixo os monopólios!) não "refina" gasóleo suficiente e por isso tem que o importar. Igualmente, o preço da gasolina sobe porque tem que subsidiar o preço do gasóleo!

Quem é o estúpido aqui? O "economista de fraldas" à procura dum tacho, ou o pacato consumidor que sabe que as refinarias em Portugal, actualmente GALP, porque já tiveram outras designações, laboram há décadas e nunca se pôs o problema da escassez do gasóleo?

Estes "economistazinhos de caca" têm sempre explicação para tudo! Por isso é que este país está como está!

Estão em marcha, na Internet, vários apelos de boicote ao abastecimento na GALP, BP e REPSOL. Vamos a isso!

quarta-feira, maio 21, 2008

O "PEIDO DA VACA"

Por favor, vejam primeiro o vídeo e depois leiam!


"As autoridades da Estónia, criaram uma taxa para a flatulência das vacas, que deve ser paga pelos produtores pecuários. A medida serviria para compensar a emissão de metano gerada pelos gases dos animais, segundo o diário online 'Ananova'.
Os produtores começaram a receber nesta semana as primeiras cobranças do 'imposto do peido da vaca'. Uma única vaca é capaz de gerar 350 litros de metano e 1,5 mil litros de dióxido de carbono por dia através das flatulências. Segundo as autoridades, a pecuária é responsável por 25 % da emissão do gás no país".


Perante estes factos, de que é que este país (Estónia) está à espera? Uma fonte produtora de energias alternativas com baixíssimos custos de produção, não se pode desperdiçar!


A técnica está em armazenar o gás, logo à saída do cu da vaca: aplicar-lhe um balão de recolha de gases, com separadores para metano e CO2, com capacidade para 1850 litros diários, podendo-se usar balões com menor capacidade consoante a disponibilidade de troca diária, com um contador (peidómetro) acoplado, que serviria para determinar a taxa a aplicar ao produtor!


Aposto que após a leitura deste post, já há inventores, principalmente portugueses, a esfregar as mãos pensando no lucro rápido que lhes vai dar a ivenção do "APREPEVA" (Aparelho Recolector do Peido da Vaca).


Mas atenção... A ideia foi minha!

segunda-feira, maio 19, 2008

CATARINA EUFÉMIA

Na passagem de mais um aniversário da sua morte, aqui fica a minha homenagem a Catarina Eufémia assassinada pelo regime fascista em 1954.

OS HAVERES E OS VALORES

Emigrantes Portugueses num bairro de lata (bidonville), nos subúrbios de Paris.
Foto de Gérald Bloncourt


Ontem, foi dia dos museus. Foi dia de visitar a exposição fotográfica de Gérald Bloncourt, patente no museu Berardo, no Centro Cultural de Belém. Exposição muito interessante, realçando as dificuldades por que passaram os emigrantes Portugueses em França nas décadas de 50 e 60. Com visita guiada, então fica-se "por dentro".


Com o espírito crítico que sempre me acompanha, estou normalmente atento. Aconteceu então que à minha frente, contemplando os quadros, seguia um casal com um ar "intelectual", "benzoca", com um miúdo de 4 a 5 anos de idade. Passávamos de sala em sala e a sequência era a mesma: o casal com o miúdo, à minha frente. Devido à proximidade, não pude deixar de ouvir os comentários de qualquer um deles, sempre que olhavam uma fotografia. A determinada altura diz o miúdo, apontando para a fotografia de uma casa de madeira já apodrecida, com telhado de zinco, típica dum bairro de lata:
- Pai, olha ali aquela casa. É igual à do avô António!
- Não é nada filho... diz o pai, olhando para mim com ar embaraçado.
- É sim pai. Então não vês?


Mas o pai não queria ver, ou melhor, não queria que eu visse! Tal como muitos pais que tentam esconder dos filhos, principalmente em sociedade (porque as crianças dizem na rua o que ouvem e vêm em casa), as sua origens humildes. Pais a quem interessa transmitir apenas os haveres, não os valores. Esta sociedade de "engravatados" e "visons falsos" rejeita as origens e os valores. Esta sociedade do "faz de conta" não é a sociedade que queremos. Mas é a sociedade que temos!

quinta-feira, maio 15, 2008

INTERESSE PRIVADO VERSUS INTERESSE PÚBLICO

A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou, por unanimidade, a declaração de interesse público municipal do projecto do professor/advogado espanhol Matias Cortez. Em causa está a construção de uma moradia, na freguesia de Cadima, que integra uma biblioteca, um jardim com esculturas, um teatro aberto, uma residência para convidados das diversas palestras que pretende vir a realizar, entre outros aspectos. Segundo João Moura explicou na sessão, o professor que há alguns anos reside/frequenta a freguesia de Cadima, pretende realizar um projecto "inédito e de uma dimensão que não é habitual para um investimento privado". Neste projecto, que vai incluir uma biblioteca, o professor Matias Cortez pretende que a mesma seja, no futuro, "um espaço público". Além disso, a obra vai ainda incluir um teatro aberto e uma zona dedicada à exposição de esculturas, num projecto de arquitectura tradicional, semelhante a um pequeno palacete.


Professor com doutoramento em diversas universidades, Matias Cortez pertence ainda a um dos mais prestigiados consultórios de advogados de Espanha. No entanto, e depois de descobrir a freguesia do concelho de Cantanhede, optou por nela investir, pretendendo a ela trazer especialistas de diversas áreas para realizar palestras.


O projecto que deu entrada na autarquia de Cantanhede, foi concretizado por um arquitecto madrileno -"um dos mais conceituados professores da Universidade de Madrid"- e é considerado "muito importante para o concelho".


Segundo o técnico responsável pelo departamento de urbanismo da autarquia de Cantanhede, são 1700 metros quadrados para a residência, 500 metros quadrados para a piscina e 700 metros quadrados para a biblioteca. Este último equipamento vai estar dotado, segundo o técnico da câmara, de "soluções técnicas evoluídas no que diz respeito à luminosidade". Apesar de não ser conhecido o valor total do investimento, este deve ascender a cinco milhões de euros, e a declaração de interesse público municipal surgiu na sequência de ser necessário desafectar uma pequena parte do terreno da Reserva Agrícola Municipal.


Agora que o interesse público foi aprovado por unanimidade, resta esperar pelo início da obra. Todavia, na sessão de assembleia municipal João Moura esclareceu que a biblioteca vai ficar "recheada com um conjunto de obras valiosas", vai ser "frequentada por investigadores" e depois de assinado o protocolo com a autarquia "vai poder ser utilizada pelo público".

Transcrição integral da notícia publicada no "DIÁRIO AS BEIRAS" de 2 de Maio de 2008.


Depois de lida e relida a notícia, impõem-se os seguintes comentários:


1º- A câmara "esclarece". Esclarece sobre intenções de privados, estrangeiros, com interesses numa freguesia (Cadima) cuja actividade principal é a agricultura (daí o ter que declarar o interesse público da coisa, para poder subtrair uns poucos de milhares de metros quadrados à Reserva Agrícola).


2º- Esclarece que o investidor pretende que no futuro o empreendimento seja "um espaço público" aliás, como convém, por causa do subsídio.


3º- Esclarece que o investidor e o arquitecto são do melhor que há em Madrid (professor/doutor/advogado e professor/doutor/arquitecto) e por isso muito importantes para o concelho, aliás como nestas terras ainda se vive em subserviência aos títulos de doutores e engenheiros (veja-se o site da câmara: só o pessoal menor não tem título!), convém amedrontar um pouco a populaça.


4º- Ao invés, a câmara nunca esclareceu o que acontece com os baldios no Zambujal, lugar que curiosamente, pertence à mesma freguesia. A câmara possui dezenas de cartas que denunciam a prática de abusos de privados (e também de algumas empresas públicas) em terrenos públicos, alguns deles situados em plena R.E.N. (Reserva Ecológica Nacional). Possui também dezenas de requerimentos de munícipes a pedir a delimitação dos terrenos públicos administrados(?) pela câmara e que confrontam com propriedade desses próprios requerentes. A tudo isto, a câmara tem dito nada!


5º- A Associação Cultural e Recreativa do Zambujal, construíu um salão com dimensões inferiores às pretendidas, porque não podia "alargar-se" para a REN, mesmo sendo propriétaria do terreno.


6º- Conclusão:

- Óh ti! Maria... venda-me meio litro de tremoços!
- É pra já, senhor doutor... e por ser para si, vão por esta medida maior!

quarta-feira, maio 14, 2008

DIZ QUE É UMA ESPÉCIE DE LEI

"Sócrates e Pinho fumaram dentro do avião da TAP que os levou até Caracas. Constitucionalistas criticam a atitude do primeiro-ministro e a Confederação Portuguesa de Prevenção do Tabagismo já veio a público dizer que Sócrates devia pedir desculpa."

Desculpa? Mas qual desculpa? Só tem é que lhes ser aplicada a lei e mais nada! Depois ainda veio aquele responsável da TAP com paninhos quentes... Sabujo! Só lhe faltou dizer que o avião era descapotável!

No seu blogue, Vital Moreira classificou a atitude como um mau "exemplo". E defendeu que as "normas valem para todos".

Isto é só rir! Pois é Senhor Professor, o senhor sabe que esse caracter da lei, a generalidade, já não é bem assim. É o carro do ministro a 200 e tal Km/h e não se passa nada, é o inspector-geral da ASAE a fumar no casino, idem idem, aspas aspas...
A lei, senhor Professor é para os "tolos". Os "espertos" não a cumprem!

VELEIRO

Iate
Trabalho efectuado pelo autor do blogue
Esta foto é um quadro de parede e tenta representar um iate à vela. É constituído por linha prateada, urdida em pequenos pregos de latão, sobre fundo de veludo azul escuro. É a primeira peça que é exposta. A intenção é expor todos os trabalhos que vou fazendo, num novo blogue a ser criado para o efeito.

terça-feira, maio 13, 2008

AS RAZÕES DA NATUREZA

Esta roseira, a mais de 10 metros de altura, parece querer transmitir recados aos humanos.

sábado, abril 26, 2008

A COMPETÊNCIA DO "GARIBALDI"

sexta-feira, abril 25, 2008

25 DE ABRIL, SEMPRE!


"Foi então que Abril abriu
as portas da claridade
e a nossa gente invadiu
a sua própria cidade".
Ary dos Santos

quinta-feira, abril 24, 2008

HOMENAGEM A JOSÉ VILHENA

autor: José Vilhena

Hoje podia falar do acontecimento político de ontem, a ratificação do tratado de Lisboa, mas não me apetece. Este assunto já foi aqui tratado em: "Federação Europeia?".

Agora o que me parece é que este país virou de um momento para o outro, um país de ideais: são os santanistas, os menezistas, os jardinistas, os marcelistas (cruzes canhoto! ah mas este é outro, o dos banhos no Tejo) os ferreiristas...
Fod.-..!
Com tanto idealismo bacoco apetece pedir uma coisa:
- Deixem-me em paz caralh...!

quarta-feira, abril 23, 2008

PERDIDOS

Pedro e Maria estão num vôo para a Austrália para comemorar seu 40º aniversário de casamento. De repente, o comandante anuncia pelos altifalantes:
- Senhoras e senhores, tenho notícias muito más. Os motores do avião estão a parar e vamos tentar uma aterragem de emergência. Por sorte, estou a ver uma ilha não catalogada nos mapas logo abaixo de nós e vamos tentar aterrar na praia.
Ele aterrou com êxito, mas avisou os passageiros:
- Isto aqui é o fim do mundo e é muito provável que nós não sejamos resgatados e tenhamos que viver nessa ilha pelo resto das nossas vidas! Nessa hora, Pedro pergunta à mulher:
- Maria, entregaste o nosso IRS antes de viajarmos?
- Ai, perdoa-me Pedro. Eu esqueci-me completamente!
Pedro, eufórico, agarra a mulher e afinfa-lhe o maior beijo de todos os 40 anos de casamento.
A Maria não entende e pergunta:
- Pedro! Porque me beijaste desta maneira?
Ele responde:
- Eles vão encontrar-nos!!!
Recebido por email.

A SAGEZA NÃO SE HERDA...

Perguntaram ao Dalai Lama:
"O que mais te surpreende na Humanidade?"
E ele respondeu:

"Os homens... Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.

E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.

E vivem como se nunca fossem morrer...
...e morrem como se nunca tivessem vivido."

terça-feira, abril 22, 2008

DIA MUNDIAL DA TERRA



Comemora-se hoje o Dia Mundial da Terra.

Que coisa ridícula! Habitamos nela 365 dias por ano e só lhe dedicamos um dia e por mera descarga de consciência! Que falta de sentido colectivo! Isto revela o pouco apreço que temos (ou nos ensinaram a ter) pelo nosso planeta, com graves consequências para as gerações futuras. É o liberalismo, a globalização e o individualismo a ditarem as regras, que tão depressa fizeram esquecer os ideiais humanistas da década de sessenta do séc. XX.
Nova Ordem Mundial... precisa-se!

sábado, abril 19, 2008

PORCA MISERIA! MA COSA FARÒ?

Um italiano foi condenado a 10 dias de prisão e a pagar uma multa de 40 euros por ter olhado insistentemente para uma mulher num comboio. Segundo a vítima, que tem 55 anos, os olhares do homem de 30 anos foram tão insistentes e impertinentes que a deixaram incomodada. O acusado defendeu-se alegando que, na posição em que estava sentado, não havia como não olhá-la. No entanto, o juiz Paolo Salvatore, de Lecco (onde foi realizado o julgamento), dedidiu condenar o homem, com uma pena quase simbólica. A defesa vai entrar com um recurso. "Nesses casos, deve-se avaliar as circunstâncias do facto. Devido à quantidade de pessoas no comboio, o meu cliente não tinha como se comportar de outra forma. Ele não tinha intenção nenhuma de perturbar a mulher", afirmou o advogado. A acusação sustenta que o homem olhou insistentemente para a mulher durante vários dias, pois eles encontravam-se sempre no mesmo comboio. A vítima sentiu-se incomodada e denunciou o facto a um agente da polícia ferroviária.
Fonte: Corriere della Sera


Não se sabe ao certo, em que termos foi feita a queixa, mas segundo fontes fidedignas, a vítima terá dito em "off" que esperava mais do que um simples olhar e como passados todos aqueles dias o homem não fez jus à condição de macho latino, ela resolveu entrar com a denúncia!
Fonte: Cá da casa

sexta-feira, abril 18, 2008

REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA



É um pequeno avião, um monolugar com 16,3 metros, mas cumpriu em Janeiro uma estreia e a Boeing assinalou-a ontem, ao anunciar que o aparelho realizou com êxito um voo de 20 minutos, a mil metros de altitude, utilizando como propulsor uma pilha de hidrogénio. É uma revolução tecnológica a começar. "Pela primeira vez na história da aviação, a Boeing fez voar um avião tripulado, propulsionado por uma pilha de hidrogénio", declarou John Tracy, director de pesquisa e desenvolvimento da empresa norte-americana. Francisco Esacarti, que dirige o centro de pesquisa de Ocaña, em Espanha, da Boeing, sublinhou por seu turno que esta fonte de energia "poderá funcionar como fonte primária para um pequeno aparelho como este, e como sistema secundário num avião comercial". A construtora norte-americana, garantiu o mesmo responsável, "não encara a hipótese de usar pilhas de hidrogénio como fonte de energia primária em aviões comerciais, embora continue a explorar o seu potencial, bem como de outras fontes alternativas que melhorem a performance ambiental"
In DN Online de 04/04/08. Transcrição integral.

"PROMISCUIDADE"


A quantidade de areia que eles nos atiram para os olhos!

"JUSTIÇA DE FAFE"

Ao ler a notícia, veio-me à memória a imagem da leitura de uma sentença num tribunal iraquiano, a um réu que seria condenado à morte. Ele insultou, praguejou, estrebuchou, sabendo que ia ser condenado. Neste caso (da notícia), temo, que o estrebuchar, os insultos, as pragas e as palhaçadas, sejam uma manifestação de quem está ciente que vai ser absolvido. Oxalá esteja enganado, para bem da justiça e de todos nós!

quarta-feira, abril 16, 2008

DIÓXIDO DE CARBONO


A ÁRVORE DAS PATACAS.


AVÔZINHO, DIZ-ME TU.

"Isso é um veículo que se usava antigamente, não se usa porque não precisava de estradas, consumia pouco, levava muitos passageiros e pior ainda era pouco poluente"

terça-feira, abril 15, 2008

POR CULPA DA ACADÉMICA


domingo, abril 13, 2008

FOI HÁ 137 ANOS!

"Leitor de bom senso, que abres curiosamente a primeira página deste livrinho, sabe, leitor celibatário ou casado, proprietário ou produtor, conservador ou revolucionário, velho patuleia ou legitimista hostil, que foi para ti que ele foi escrito – se tens bom senso! ... Aproxima-te um pouco de nós, e vê. O País perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não existe nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Já se não crê na honestidade dos homens públicos. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos vão abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas ideias aumenta em cada dia. Vivemos todos ao acaso. Perfeita, absoluta indiferença de cima a baixo! Todo o viver espiritual, intelectual, parado. O tédio invadiu as almas. A mocidade arrasta-se, envelhecida, ...para as mesas dos cafés. A ruína económica cresce, cresce, cresce... O comércio definha. A indústria enfraquece. O salário diminui. A renda diminui. O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo. Neste salve-se quem puder a burguesia proprietária de casas explora o aluguel. A agiotagem explora o juro. De resto a ignorância pesa sobre o povo como um nevoeiro. O número das escolas só por si é dramático. O professor tornou-se um empregado de eleições. A população dos campos, arruinada, vivendo em casebres ignóbeis, sustentando-se de sardinha e de ervas, trabalhando só para o imposto por meio de uma agricultura decadente, leva uma vida de misérias, entrecortada de penhoras. A intriga política alastra-se por sobre a sonolência enfastiada do País. Apenas a devoção perturba o silêncio da opinião, com padre-nossos maquinais.
Não é uma existência, é uma expiação.
E a certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências. Diz-se por toda a parte: «o País está perdido!» Ninguém se ilude. Diz-se nos conselhos de ministros e nas estalagens. E que se faz? Atesta-se, conversando e jogando o voltarete, que de Norte a Sul, no Estado, na economia, na moral, o País está desorganizado – e pede-se conhaque!
Assim todas as consciências certificam a podridão; mas todos os temperamentos se dão bem na podridão!
Nós não quisemos ser cúmplices na indiferença universal. E aqui começamos, sem azedume e sem cólera, a apontar dia por dia o que poderíamos chamar – o progresso da decadência. Devíamos fazê-lo com a indignação amarga de panfletários? Com a serenidade experimental de críticos? Com a jovialidade fina de humoristas?
Não é verdade, leitor de bom senso, que neste momento histórico só há lugar para o humorismo? Esta decadência tomou-se um hábito, quase um bem-estar, para muitos uma indústria. Parlamentos, ministérios, eclesiásticos, políticos, exploradores, estão de pedra e cal na corrupção..."

Excerto de "Uma Campanha Alegre" - Eça de Queirós (Junho 1871)

sexta-feira, abril 11, 2008

ORQUESTRA


Andy Mckee. Um espectáculo!

quinta-feira, abril 10, 2008

CUMPRA-SE A CONSTITUIÇÃO

Depois de ter lido o artigo, dei-me ao trabalho de fazer uma consulta rápida da Constituição da República Portuguesa (Lei Geral do País, é preciso não ignorar!) e cheguei à conclusão que o Governo (não o Estado, como muitos erradamente dizem) não cumpre uma quantidade de leis. De acordo com o artigo supra mencionado em hiperligação, pretende o Governo alterar o RDM, estando uma das alterações, plasmada na seguinte transcrição:

"Um dos 13 deveres da proposta de RDM a que esses militares fora do activo passam a estar vinculados é o "de lealdade", cujo cumprimento impõe "não manifestar de viva voz, por escrito ou por qualquer outro meio, ideias contrárias à Constituição ou ofensivas dos órgãos de soberania e respectivos titulares, das instituições militares e dos militares em geral ou, por qualquer modo, prejudiciais à boa execução do serviço ou à disciplina das Forças Armadas
".

Era minha convicção que num estado de direito, estes princípios regiam todos os cidadãos, mas pelos vistos, o Governo quer impô-los só a uma determinada classe social!

Procurei na CRP o tal dever "de lealdade" e o que encontrei foram os seguintes artigos:
Artigo 13º
(Princípio da igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.

Artigo 37º
(Liberdade de expressão e informação)
1. Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações.
2. O exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.
3. As infracções cometidas no exercício destes direitos ficam submetidas aos princípios gerais de direito criminal ou do ilícito de mera ordenação social, sendo a sua apreciação respectivamente da competência dos tribunais judiciais ou de entidade administrativa independente, nos termos da lei.
4. A todas as pessoas, singulares ou colectivas, é assegurado, em condições de igualdade e eficácia, o direito de resposta e de rectificação, bem como o direito a indemnização pelos danos sofridos.

Quero ainda chamar a atenção para outros artigos da CRP, que parecem não morar no exemplar da biblioteca dos senhores governantes:

Artigo 19º - Suspensão do exercício dos direitos.

Artigo 43º - Liberdade de aprender e ensinar.

Artigo 45º - Direito de reunião e manifestação.

Artigo 48º - Participação na vida pública.

Muitos, muitos mais haveria a referir! Mas fiquemos por aqui, com a seguinte máxima em forma de conclusão:

Mau soldado é, aquele que combate o inimigo, com a arma apontada a si próprio!

Nota: Realçado a bold pelo autor.

terça-feira, abril 08, 2008

IRONIA

Ironia ou não, aqui está manifestado o grande desprezo que esta classe política nutre pelos eleitores! Que falta de senso!

CORRUPÇÃO AUTÁRQUICA

O Correio da Manhã chama-lhe corrupção autárquica. Quem conhece esta realidade talvez nem se incomode, pois presencia todos os anos, pelo Natal, a chegada de camiões carregados de prendas para o Presidente. A avaliar pela última campanha eleitoral, a teia é muito grande!

quinta-feira, abril 03, 2008

PATRÃO FORA...

Imagino o que se passou nos bastidores:
- Anuncio eu!
- Não, eu é que anuncio!
- Não! Eu, porque sou mais importante. Sou o da "massa"!
- Jámé! Eu é que sou o das "obras". Eu é que faço o anúncio!

Enquanto estes dois se acotovelavam, eis que salta um "estratego" para a pista: eu é que sou o "prrllesidente da...". E, com duas horas de antecedência em relação ao Governo anunciou... a ponte!

Se estivesse cá o Patrão, outro galo teria cantado!

quarta-feira, março 19, 2008

O BARBEIRO DA ALDEIA

Era uma vez um barbeiro, que ao ter um cliente na cadeira desatava a falar mal do cliente que tinha acabado de sair. Serviço feito, cliente fora da porta, novo cliente na cadeira e lá começava a ladaínha: sabe, este que saíu agora...
Chegado ao fim do dia, já sem clientes e com a porta fechada, enquanto afia a navalha, olha para a sua imagem reflectida no espelho e exclama: e tu... também me saíste um valente sacana!


Vem esta historieta a propósito da notícia saída no DN Online sobre afirmações de um conhecido "cavalgante da onda" da nossa praça. Como sou livre e tenho os impostos em dia, aqui vai o meu comentário:
- Caro Professor, quanto à 'bancada central' não concordo. Em termos pedagógicos uma opinão é sempre positiva por mais descabida que seja. O senhor não acha mas é o que manda uma das mais elementares regras da pedagogia! Em relação à ignorância dos opinantes estou completamente de acordo, e, tendo V. Exª passado pela pasta da Educação, não estará a dar um tiro no próprio pé? V. Exª diz bem: "Andamos há mais de um século a dizer o mesmo..." Que me conste, V. Exª não pôs a corda ao pescoço e foi apresentar-se a El-Rei!

terça-feira, março 18, 2008

CEGO É AQUELE QUE NÃO QUER VER!

Assisti ontem, ao documentário da TVI sobre o protocolo da Câmara de Vila Real de Santo António com um Hospital Cubano, na especialidade de Oftalmologia. Confesso que fiquei de queixo caído, não por desconhecer a competência dos médicos cubanos, mas por constatar o enorme fosso que separa duas sociedades, pelo menos, em termos de saúde: uma sociedade capitalista e uma sociedade socialista! E não me venham com essa dos direitos humanos. Direitos humanos são garantidos quando as necessidades básicas como educação, saúde e habitação são também garantidas. E aqui sim, que é realmente o que interessa, os países socialistas batem por KO os países capitalistas!
Mas, sem entrar em mais pormenores, vamos à verdadeira essência da questão: Em Portugal um cego em lista para a operação, espera anos, e se for operado, paga 3.000 euros e continua cego. Mas, se esse mesmo cego, sem esperanças de cura em Portugal decide ser operado em Cuba, espera um a dois meses. Viaja para Cuba onde é alojado. É operado. Paga 1.400 euros. Volta para Portugal... a ver! Fantástico!
Vem-me à lembrança as manifestações dos militares, quando se perguntou a um "engravatado" se temia um golpe de estado em Portugal, ao que ele respondeu: "não, que Portugal não é a América Latina".
Pois claro que não é!

sexta-feira, março 14, 2008

EU QUERO IR PARA O MONTE...

"Eu quero ir para o monte, eu quero ir para o monte... onde não veja ninguém, que no monte é q'eu estou bem".

De volta ao Estado Novo? Só falta voltar a pagar "licença de isqueiro", ou multar os sem abrigo por andarem descalços! Não desesperemos. É um "feeling"! Agora esta do pearcing? Óh meus amigoxzesss!

Então e membros "masculinos" do governo com óculos esquisitos, sobrancelhas arranjadas e penteados armados? Não?

Óh Carlos Candal, quanta razão tu tinhas!!!

quinta-feira, março 06, 2008

SERÁ QUE FIZ, OU NÃO FIZ?

Deu-se perto de Beirolas

Um grande acontecimento

O ti'Manel das Cebolas

Estreou umas ceroulas

No dia do casamento

É assim que começa a canção do labrego que cagou nas ceroulas, por não se lembrar que as tinha vestidas. Pois actualmente o que não falta é "labregos" a cagar nas ceroulas! Mas o resultado não é o esperado! A "defecância" deste tipo de gente, é, como dizem na minha terra, "retrasada". Já começou a cheirar há muitos anos atrás. Carlos Queirós bem avisou. Resta saber quando é que passa o "camião do lixo"!

quarta-feira, março 05, 2008

O "PREC" DOS MODERNAÇOS

Parece que a coisa está a aquecer. Isto é uma brincadeira? Ou é uma provocação? Mais parece um regresso ao Estado Novo! O senhor ministro equivoca-se quando afirma que "o país não vive no PREC". Então o "Período Regressivo Em Curso" não é o PREC dos modernaços?

domingo, março 02, 2008

MINISTRO DA ECONOMIA NO SEU MELHOR



Mais palavras para quê? É um "artista" Português!
Talvez um dia descubra, no estrangeiro, que é em Portugal que se fabricam os famosos "C******* das Caldas"!

sexta-feira, fevereiro 29, 2008

RELAXE



Logo às 21H00 no CCB. Vamos lá estar! Bom fim de semana!

NÃO ACREDITO!!!

Então porquê? Na direita não há gente capaz?

Esta "estória" dos calotes já é uma constante na sociedade actual. Resta saber quem chamou "puta" primeiro. Como quem chama primeiro fica a ganhar, então o Portas está em vantagem. O processo judicial deixa de ter sentido, não acham?

quinta-feira, fevereiro 28, 2008

CAVALEIROS DA ONDA (POLÍTICA)

Médico contra médicos? É o que parece! Aliás, alguém se lembra do ex-ministro da Saúde? Alguém ouviu falar de um único médico descontente, durante a sua vigência? De certeza que não. Caladinhos que nem ratos, pois a política corria de feição. Ou não fosse o senhor ministro, também ele... médico. Pois é! Quem não governa para os seus, governará para quem? Sim, esta ministra também é médica. O jogo não será muito diferente.
Olhe Sr. Dr. Menezes, não cave já a sua cova. Sei que o senhor agora anda muito progressista! Até recebe um delegado sindical afecto à CGTP. Cuidado! Olhe que eles não lhe perdoarão. Por falar em delegado sindical, onde é que anda a UGT? Desapareceu ou está no governo?
Haja paciência e como diria um amigo: "Estes são os cavaleiros da onda!". Eu diria "Cavalgantes da onda".

sexta-feira, fevereiro 01, 2008

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS



Para os que defendem que a mutação do planeta Terra é cíclica, eis a resposta! Cada vez que se fechou um ciclo, milhares de espécies animais se extinguiram. Não importa se as alterações climáticas são ou não cíclicas, pois isso é desculpa de "mau pagador". O importante é, além de salvar o planeta, salvar a espécie humana que está verdadeiramente ameaçada!

quinta-feira, janeiro 31, 2008

CARNAVAL NO BRASIL



Começou o Carnaval no Brasil. Viva a desbunda! Com ele surgem os excessos. Por isso aqui está uma boa medida. Que tal importar a ideia e aplicá-la cá no burgo, por ocasião da Queima das Fitas?

ANEDOTAS

Só pode ser anedota, esta notícia! Já agora porque não juntar Bush, Blair e Aznar?

terça-feira, janeiro 29, 2008

NOSTALGIA



Lembram-se desta menina? Kate Bush em 1978. Ai que saudades!

sábado, janeiro 26, 2008

PORQUE NON TE CALLAS?



Porquê o Rei de Espanha, não mandou calar Ortega?