sexta-feira, abril 18, 2008

"JUSTIÇA DE FAFE"

Ao ler a notícia, veio-me à memória a imagem da leitura de uma sentença num tribunal iraquiano, a um réu que seria condenado à morte. Ele insultou, praguejou, estrebuchou, sabendo que ia ser condenado. Neste caso (da notícia), temo, que o estrebuchar, os insultos, as pragas e as palhaçadas, sejam uma manifestação de quem está ciente que vai ser absolvido. Oxalá esteja enganado, para bem da justiça e de todos nós!

2 comentários:

NAELA disse...

Penso que nem sempre funciona assim...A pena de morte imputada a alguns reus gera muitos questionamentos dentro da comunidade internacional quanto à legalidade do processo judicial em Iraque.

Sendo assim alguns casos nem sempre teem a devida e merecida justiça!

Um beijo doce

Sifrónio disse...

naela, quero deixar claro agora e para todo os eventuais comentadores, que sou absolutamente contra a pena de morte e por isso, achar que não foi feita justiça no caso do Iraque.
Por outro lado, o modo como a justiça "corre" em Portugal, deixa-me apreensivo.
Obrigado pela visita. Beijinhos.