terça-feira, junho 03, 2008

CHOQUE PETROLÍFERO

«Autoridade da concorrência conclui: Não há cartelização de preços dos combustíveis entre os operadores que actuam no mercado português».

Todo este "rendilhado" mostra a falta de isenção desta comunicação social. O mais importante que foi dito por este senhor não é noticiado: O "problema" de Portugal fazer fronteira com a Espanha! Que chatice a Espanha praticar impostos mais baixos!
"Se fizesse fronteira com a França!.."
E se fosse com a Arábia Saudita?
Depois vem o ministro da economia, enterrar-se todo como é seu hábito, com "histórias aos quadradinhos". Faltou-lhe a coragem de dizer que o governo perdeu o ano passado centenas de milhões de euros em ISP e que este ano não quer correr esse risco. Todo o resto é areia para os nossos olhos.

9 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

O país precisa de mais futebol. Mais futebol e a gasolina fica barata.

O pior é que os dirigentes não desceram de pára-quedas. São iguais ao povo que governam.

O GANDARÊS disse...

É da natureza, enquanto dá estamo-nos nas tintas. QUANDO NÃO DÁ PEDIMOS ISENÇÃO. E se a isenção não é possivel, PEDIMOS O SUBSIDIO.
No limiar do século XXI, ISENÇÃO+SUBSIDIO injustiça.

carla m. disse...

triste situação de vocês. por cá, temos além do petróleo, o etanol. E ainda assim os preços sobem.

A vós, nem a alternativa do etanol está colocada.

Arnaldo Reis Trindade disse...

Fico mais uma vez com a Carla,
temos aqui o etanol e mesmo assim os preços estão sempre a subir e o petróleo, temos tanto quanto os maiores "produtores" se assim puder chamá-los deste ouro negro, que assim como o nosso áureo metal, vem dizimando pessoas em todo o mundo, pessoas que precisam deste pra trabalhar (gasolina) e tantas outras que sofrem em guerras causadas por exploradores do mesmo.

Abraço amigo.

Carla disse...

Tudo o resto é areia para nos calar e levar-nos a ignorar a má gestão das conrtas públicas
bom fim de semna

Carminda Pinho disse...

É neste estado de choque que continuamos a viver, cada dia pior que o outro.
Que o fim de semana seja bom por aí...

Bjs

Ferroada disse...

Olhe Sifrónio

Já me estou cagando para os milhões que o país perde ou ganha...
Seja como for, digam o que disserem todos os ministros todos os secretários de estado todos os que estão do lado do poder instalado (e estão sempre desse lado do poder instalado, os que estão, porque o alimentam) diga o que disser o também e há sempre um primeiro ministro e um presidente que já o foi, o problema daqueles que têm realmente um problema, esse nunca será resolvido. A não ser que a puta da peneira não seja destruída, a peneira é um filtro produzido por milhares de assessores pagos principescamente por todos nós e principalmente por nós, (os que estão lado do poder instalado e os seus lacaios, só recebem), pagos por nós para justificarem todas as maneiras, cientificamente provadas, de nos lincharem e nós calamo-nos, e, é triste, eles só pediram um dedo (no ar) hoje têm o nosso dedo e a nossa alma, e ainda achamos que estamos em democracia.
Como diria o Luiz Pacheco (o escritor maldito) autor da "comunidade", "vão todos prá puta que os pariu" ele não diz "prá puta que os háde parir"... porque estão todos aí…

Um abraço
Carlos Rebola

A. João Soares disse...

Concordo com as ideias do Carlos Rebola embora não goste das palavras! Mas eles merecem!
Essa tal autoridade é composta por que tipo de cidadãos independentes, isentos, sérios, apartidários? E nas gasolineiras, quantos políticos, ex-governantes, deputados e autarcas lá estão?
E quanto a assessores e outros que tais que preparação de gestão de problemas nacionais obtiveram e onde?
Que se saiba, a carreira deles começou, serem maus estudantes, c+encostarem-se à juventude partidária, irem até assessores, autarcas, deputados, secretários de Estado, ministros..., entretanto conseguirem uma licenciatura em universidade de amigos a quem pelo caminho,fizeram favores, etc.
Não quero meter todos os gatos no mesmo saco, pois há excepções que se distrairam. Eu «jamais» seria capaz de querer ofender alguém.
Abraço
A. João Soares

Carlos Rebola disse...

Amigo A. João Soares

Obrigado pela sua chamada de atenção para as minhas palavras nem sempre com a lisura que era devida. Não é minha intenção ofender pessoas, mas sinto-me revoltado, pela propaganda, intoxicação, argumentação falaciosa que tem envenenado a nossa sociedade. Sinto por observação que não é inocentemente que o primeiro ministro em particular e membros do governo em geral, têm colocado, praticamente, todos os sectores e franjas da população uns contra os outros. Senão vejamos, sempre que alguém protesta contra qualquer má politica, logo vem alguém da área governativa atacar quem protesta porque estão a prejudicar toda a população, tentando que esta se ponha contra aquele sector sócio económico, o certo é já quase todos os sectores da vida nacional protestaram e esta postura governamental parece instigar à divisão da sociedade nesta tentativa de que devemos assim de acordo com a argumentação governamental estar contra com quem protesta. Pessoalmente quando este governo foi empossado depositei boas expectativas nele, expectativas goradas defraudadas. O mesmo se passa nas autarquias do meu concelho (Junta de Freguesia e Câmara municipal) o povo clama e o poder procura a sua divisão, este revoltasse em desespero e depois dizem com desfaçatez “entendam-se” que depois aí actuaremos, nessas condições nada fazemos, o descontentamento é permanente…
Se alguém ofendi, foi sem intenção e peço desculpa, mas continuo revoltado, farto de “paninhos quentes” e de ver a “pílula ser dourada”.
Verificou-se isto que acabo de dizer nesta paralisação dos “camionistas”.

Abraço
Carlos Rebola