quinta-feira, junho 28, 2007

A CLASSE SEM CLASSE

Mais uma tirada infeliz de um governate. Interrogado sobre o que fazer com um saco de medicamentos que sobrou de um doente oncológico falecido, o ministro da saúde teve a seguinte saída: Dê-se aos pobres. E tem razão. Os pobres precisam, não só das sobras dos medicamentos oncológicos como também de antidepressivos, antipiréticos, anestesiantes e também, porque não, de alguns alucinogéneos. Só fortemente medicado é que o pobre pode andar indiferente, a tanta falta de pudor, a tanta arrogância, a tanto desprezo a que é votado. São anedotas atrás de anedotas que estes senhores fazem questão de nos contar, sem no entanto terem a classe de nos fazer rir. São anedotas banais, de baixo nível e sem graça nenhuma.

2 comentários:

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Até mais.

Rato disse...

Por menos anedotas e gaffes, em quantidade bem entendido, o ministro do alumínio foi à vida. Bem sei, era do PSD. Este tem o beneplácito da classe pensante!